Letreiro
Ibope: Desde a posse, aprovação de Bolsonaro cai 15 pontos percentuais
mais brasil comunicações > Turismo
Voltar Enviar noticias imprimir
[11/03/2019] Moscou; Circuito Anel de Ouro revela o lado sagrado da Rússia

Claudia Tonaco  -  Revista Travel3

Foto: Divulgação

História e religiosidade colorem Serguiev Posad + Vladimir + Suzdal

Conto de fadas. À medida que o veículo se distancia de Moscou e avança pelo território russo, o século 21 fica para trás. Outro mundo surge, junto com a impressão de que sob alguma espécie de encantamento, ele permaneceu intocável.

Ninguém exagera ao dizer que conhecer o interior da Rússia é como entrar em um livro de mágicas histórias. O trajeto dá pistas do que o viajante irá encontrar. Pela estrada sucedem-se típicas paisagens. Primeiro aparecem as dachas, as casas de verão dos russos. Idênticas, diferenciam-se pelas cores, todas sóbrias, conferindo um ar circunspeto ao cenário. Mais adiante, os bosques passam a margear a rodovia. Imponentes, se assemelham às florestas dos contos fantásticos, repletas de carvalhos, álamos e pinheiros.

Nessa altura da quilometragem, o viajante começa a dar asas ao pensamento e cobrir de perguntas o guia que vai ao seu lado. Para fazer uma viagem perfeita pela Rússia, você deve ter a companhia de um profissional que conheça, com minúcias, cada detalhe da história, vida e rotina do país. Ele contará que há séculos, nessas paragens, viviam ursos e lobos antes da civilização chegar.

Vista do complexo religioso de Sergiev Posad: fundado no século 14 é Patrimônio da Humanidade

Uma pequena vila, com modestas izbas – como são chamadas as casas dos camponeses – surge no caminho e, 2 curvas adiante o viajante chega a 1ª cidade do Anel de Ouro. Sobre um platô, lá está Sergiev Posad, contida dentro dos muros brancos de uma autêntica fortaleza medieval.

Sergiev Posad é o centro espiritual da Rússia

Distante aproximadamente 60 km de Moscou, a grande atração de Sergiev Posad é o monastério da Santíssima Trindade. Também conhecido como o mosteiro de São Sérgio, é o mais emblemático do país. Centro espiritual da Rússia ortodoxa, Sergiev Posad foi fundada em 1340 por São Sérgio, ou Sergiev Radonezh, que se tornou o santo patrono do país.

Torres azuis e douradas da catedral da Assunção, na cidade histórica de Sergiev Posad

Tombado pela Unesco em 1993 como Patrimônio da Humanidade, é um exemplo refinado da arquitetura e dos trabalhos artísticos executados nos séculos 15 a 18, período que abrangeu sua construção. Ao todo são 13 igrejas e catedrais, concluídas em épocas distintas e consequentemente apresentando diferentes estilos. O complexo ainda abriga palácios, a residência dos czares, selas dos monges, o refeitório e a então residência oficial do patriarca da igreja russa, hoje transferida para Moscou.

Misturando os estilos bizantino e russo, a catedral da Assunção é um dos grandes destaques do conjunto. Sua história é, no mínimo, dramática, pois foi erguida pelo remorso do czar Ivan, o Terrível. Atormentado por ter assassinado de seu próprio filho, o temível czar custeou toda a obra. A seu pedido, a catedral é uma cópia da catedral de Moscou, de mesmo nome, símbolo do poder do Estado.

Em Serguiev Posad o sagrado está por toda parte

Sergiev Posad está sempre tomada por visitantes. Nos feriados religiosos, juntam-se a eles turistas, peregrinos e jovens seminaristas, o que deixa as ruas alegres e coloridas. Não perca, em exposição na catedral da Santíssima Trindade, os belíssimos trabalhos de Andrei Rubliov, o mais famoso pintor de ícones, do século 15.

Conheça Vladimir, a 2ª capital russa

Uma sugestão para quem quiser ter uma visão mais detalhada da história + cultura russa é reservar pelo menos 2 dias para fazer o tour pelo Anel de Ouro. De Sergiev Posad, o roteiro prossegue em direção à Vladimir, capital da província. Seu território, do tamanho da Bélgica e Holanda juntas é coberto em sua maior parte por florestas.

Fundada no começo do século 12 pelo príncipe Vladimir Monomakh, cresceu como um centro político, cultural e religioso. Vladimir é o berço da 1ª dinastia dos czares e depois de Kiev (hoje Ucrânia), foi a 2ª capital russa. Devastada pelos mongóis em 1238, perdeu seu poder para Moscou.

Catedral da Assunção, em Vladimir

É difícil para o visitante perceber a importância histórica de Vladimir. Quem chega pela rodovia, tem a impressão – verdadeira – de que acabou entrar em uma cidade industrial. Grandes camionetes circulam de um lado para o outro, homens vestem jaquetas ou camisas de flanela xadrez, as mulheres cobrem os cabelos com lenços e usam sóbrios vestidos. Os trilhos que cortam a cidade são da ferrovia transiberiana que atravessa a Rússia e chega à China. Situada às margens do rio Klyazma, conseguiu preservar poucas, mas essenciais riquezas do seu apogeu. Uma delas é a catedral da Assunção, a original. Construída pelo príncipe Andrei Bogolyubsky, de 1160 a 1189, serviu de modelo para o projeto da catedral da Assunção do Kremlin de Moscou que, por sua vez foi inspiração para a catedral de Sergiev Posad. A atração maior está em seu interior, com afrescos de Rubliov e Daniil Chyorny.

Fachada da Catedral de São Demetrio

Ao seu lado está a catedral de São Demetrius, com suas famosas inscrições em baixo relevo decorando a fachada e que ainda não foram totalmente decifradas. Por fim, no centro da cidade está o Portão Dourado. Parte de um antigo complexo de defesa, hoje, ilhado no meio de uma avenida é a síntese da transformação de Vladimir.

Suzdal, um retrato da Rússia campesina

Distante apenas 35 km de Vladimir, Suzdal é o retrato do ambiente rural russo. Pequenina, sua população de 12.000 pessoas vive em izbas, típicas casinhas de madeira e chaminé. Ainda hoje prevalece a tradição de entalhar a moldura das janelas como uma maneira de afastar os maus espíritos.

Uma típica izba, casa dos camponeses russos

Em Suzdal, caminhe pelas ruas e visite a feirinha de artesanato. Com a mesma variedade de produtos oferecidos nos mercados e lojas de Moscou e São Petersburgo, a vantagem é tentar negociar um preço melhor que nas grandes cidades, exercitando a arte de pechinchar.

Igrejas e mosteiros são também a principal atração. A catedral da Natividade, o mosteiro da Interseção, e o do Salvador de Santo Euthímio foram construídos por comerciantes ricos, como uma forma de garantir um lugar no céu.

Arquitetura típica do interior russo pode ser apreciada em Suzdal

O museu de Arquitetura em Madeira é imperdível, por ser diferente de tudo. A céu aberto, foi criado como uma solução para preservar as seculares construções de madeira da região. Igrejas, celeiros e casas foram transportados peça por peça, de suas localidades para o terreno do museu, que assim ganhou o aspecto de um vilarejo do século 18.

Arquitetura de madeira de Suzdal

O clima bucólico de Suzdal ganha um reforço com o trânsito das charretes transportando os turistas. Curiosamente, ao contrário do que se poderia pensar, grande parte desses turistas não são europeus ou japoneses e sim jovens russos. Depois de tantos anos sob o regime soviético, o país vive um renascimento da fé e hoje uma das tendências da nova geração é freqüentar igrejas e procurar saber mais sobre as raízes de sua história religiosa. Na Rússia, melhor lugar para isso não existe.

 

 

Fotos da notcia








Clique sobre a foto para ampliar
Notcias relacionada