Letreiro
Ibope: Desde a posse, aprovação de Bolsonaro cai 15 pontos percentuais
mais brasil comunicações > Artt Brand
Voltar Enviar noticias imprimir
[13/12/2018] 'Lula não é uma pessoa, é uma causa. Estão construindo um mito', diz Mujica

 “Lula é uma causa, não é um homem. Lula está no coração dos necessitados, dos carentes, onde estão as desigualdades. Isso é o melhor de Lula. O tempo passará. E estão construindo um mito, e contra os mitos não se pode lutar. Arriba Lula! Sempre livre!”, disse o ex-presidente do Uruguai, José Pepe Mujica, durante visita realizada nesta terça-feira (11/12) por Fernando Haddad na chácara onde ele mora, nos arredores de Montevidéu.

Segundo a deputada Benedita da Silva (PT-RJ), também presente ao encontro, a visita “foi um verdadeiro mergulho na história política da América Latina, o que muito fortalece a luta em defesa das políticas de integração da região”.

O ex-prefeito de São Paulo esteve na capital uruguaia cumprindo uma agenda com dirigentes e lideranças da Frente Ampla, coalizão de partidos que desde 2005 governa o Uruguai.  

Frente progressista

À noite, durante encontro na sede da Plenária Intersindical de Trabalhadores – Convenção Nacional de Trabalhadores (PIT-CNT), maior central sindical do país, Haddad defendeu a união das esquerdas e dos movimentos progressistas para enfrentar o avanço da extrema-direita no Brasil e no mundo.

“O resultado da eleição no Brasil choca menos pela derrota da esquerda, que poderia ter ocorrido para forças de centro ou de direita, e isso faz parte do jogo democrático, mas muito mais por conta da vitória da extrema direita, que colocou uma pessoa com o perfil de Bolsonaro à frente de uma das maiores democracias do mundo”, disse Haddad.

O ex-prefeito de São Paulo observou que a vitória de Jair Bolsonaro (PSL) é parte de uma guinada ideológica conservadora que ocorre em vários países do mundo, um processo em que a direita está se unificando para além das pautas econômicas. Para Haddad, somente uma frente progressista mundial pode se contrapor a essa tendência.

“Temos de construir alternativas de poder com um programa ousado de transformação da sociedade. E, para isso, a resistência é necessária, para evitar mais retrocessos no futuro. Precisamos avançar, e esse avanço não pode se dar apenas no plano nacional. Eu disse isso recentemente em Nova York, quando participei de uma reunião da Internacional Progressista com o Bernie Sanders (senador democrata e ex-candidato à Presidência dos Estado Unidos) e com o ex-ministro das finanças da Grécia, Yanis Varoufakis. Temos que construir uma barreira para conter o avanço do conservadorismo e do neofascismo, que está ganhando espaço no mundo”, propôs Haddad.

Artt Brand, com Ópera Mundi/Foto:Ricardo Stuckert/Divulgação

Fotos da notcia

Clique sobre a foto para ampliar
Notcias relacionada