Letreiro
Turistas internacionais gastam US$ 5 bi no Brasil em 2018
mais brasil comunicações > Serviços
Voltar Enviar noticias imprimir
[29/11/2018] Fera hotéis contribui para recuperação do centro histórico de Salvador

Antonio Euryco  -  guiadobrasilturismo.com

Foto: Divulgação

CEO Antonio Mazzafera ganha reconhecimento

em homenagem do  Ministério da Cultura 

 

A reativação de prédios emblemáticos no Centro Histórico de Salvador e a colaboração para o reaquecimento da economia do maior conjunto arquitetônico colonial das Américas foram os motivos que levaram o Ministério da Cultura a homenagear o empresário mineiro Antonio Mazzafera, CEO da Fera Hotéis e coordenador de outros empreendimentos na região. A cerimônia com as presenças do presidente da República, Michel Temer, do ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, entre outras autoridades, ocorreu na noite desta quarta-feira (28), no Palácio do Planalto, em Brasília. 

Mazzafera recebeu a Ordem do Mérito Cultural, na classe Comendador, a maior honraria pública da Cultura, criada pelo Governo Federal em 1995 como forma de homenagear pessoas, grupos artísticos ou instituições por suas contribuições à cultura brasileira.

 

Símbolo da época de ouro da Rua Chile, a primeira rua do Brasil, o Fera Palace Hotel estava em estágio avançado de degradação e fechado há 12 anos quando foi adquirido por Mazzafera. Para a sua reabertura no ano passado, o edifício de 1934 construído em estilo Art Déco foi completamente restaurado, conservando suas características históricas. A fachada com 3.500 m² de detalhes possui mais de 650 janelas e 230 adornos Art Déco.

Inspirado no Flatiron Building de Nova Iórque, todo o material foi trazido da França e Inglaterra para fazer o hotel mais luxuoso do Nordeste na época. Entre os hóspedes ilustres que  passaram por lá,  Grande Otelo, Pablo Neruda, Carmen Miranda , Orson Wells. Após a sua reabertura, recebeu  vários artistas nacionais e internacionais.

 

Parte da história da Bahia, o Fera está presente também nas obras de Jorge Amado, como no livro Dona Flor e Seus Dois Maridos. “O Palace é um ícone em Salvador, com uma história e arquitetura emblemáticas. Não podiamos deixar isso   acabar. Estou  muito feliz com esse reconhecimento por parte do Ministério da Cultura porque o nosso trabalho no Centro Histórico de Salvador é feito com muito amor à história, cultura e arquitetura. Além de turistas, o Fera está trazendo o baiano de volta ao centro, o que é muito positivo para a revitalização da área”, comentou Mazzafera.

 

Segundo o empresário, o propósito do seu trabalho é que o Centro Histórico de Salvador volte a ser frequentado pelos soteropolitanos. “Para isso, precisamos frequentar e ter orgulho do nosso centro histórico, que não basta apenas ter hotel; precisa de residenciais, bares, restaurantes, lojas, ateliês e escritórios”.  

Além de conservar todo o material histórico, o Fera Palace agregou ainda mais cultura e informação após reaberto. 

 

Por sua localização, o Fera proporciona uma das mais belas visões de Salvador

 

O Grupo Fera construiu também um estacionamento com capacidade para 250 carros. Ainda na região, já está em reforma o Palacete do Tira Chapéu, construção do início do século XX, localizada em frente ao Elevador Lacerda e ao lado da Câmara de Vereadores. No local, funcionará um centro gourmet com dez restaurantes de diversas nacionalidades, inclusive a baiana.

 O espaço será inaugurado dentro de dois anos tem como inspiração o Mercado de São Miguel, em Madri, e o El Nacional, em Barcelona. ."Esse espaço é mais um que vai trazer mais turistas e baianos ao centro”, aposta Mazzafera.

Na Ladeira da Praça, foi reformado o Edifício Moreira para funcionar como espaço corporativo. Outros projetos que também vão contribuir para a reocupação do Centro Histórico de Salvador são um residencial e um espaço para profissionais autônomos.

 

 

Fotos da notcia




Clique sobre a foto para ampliar
Notcias relacionada