Letreiro
Separadas dos pais, crianças dormem em gaiolas e choram desesperadas
mais brasil comunicações > Meio Ambiente
Voltar Enviar noticias imprimir
[04/02/2018] Os inimigos da Amazônia

Diego, Nana, Joseph, Laura e toda a equipe da Avaaz

Foto: D            ivulgação

Não é surpresa pra nossa comunidade que há deputados dedicados a votar contra a Amazônia, mas nem todo mundo sabe ainda sobre a febre ruralista! Precisamos avisá-los.

Ruralista é o deputado, ou senador, que defende o agronegócio acima de tudo: seus lucros valem mais que a floresta de pé. Agora, parceiros da Avaaz fizeram um "Ruralômetro", medindo a "febre" dos deputados e o quão ruralistas eles são, ou seja, o quanto eles são inimigos da Amazônia.

Facebook, Twitter e WhatsApp são as redes sociais que mais alcançam gente no Brasil, e se conseguirmos 100.000 compartilhamentos do Ruralômetro nas próximas 48 horas, podemos atingir milhões de pessoas. Vamos fazer isso bombar! 

Nosso Congresso está facilitando o trabalho de desmatadores: desprotegendo áreas de conservação, autorizando exploração de mineradoras e madeireiras, atacando as reservas indígenas. E pior -- eles também facilitam a corrupção. Quase todos os ruralistas apoiam incondicionalmente o Presidente Temer e seus acordos escusos. 

O Ruralômetro é uma boa maneira de informar o público sobre o que os deputados ruralistas estão aprontando. E, a cada ameaça à Amazônia que surgir no Congresso, vamos poder saber na hora quem é já tem sido contra a floresta há mais tempo e o que esperar deles!

Mas popularizar essa ferramenta é o passo 1 -- e quanto mais gente conhecer o Ruralômetro, mais perto de marcar os rostos dos inimigos da Amazônia estaremos. Vamos atingir 100 mil compartilhamentos e viralizar o Ruralômetro nas próximas 48 horas! Clique para compartilhar: 

Compartilhe e nos ajude a derrotar os inimigos da Amazônia

A comunidade da Avaaz tem lutado contra o desmatamento e em prol da floresta, e dos indígenas, desde seu início. Recentemente, barramos o decreto do presidente Temer que destruiria a Renca. Mas as ameaças não param, e precisamos saber de onde elas estão vindo. 

 

Fotos da notcia

Clique sobre a foto para ampliar
Notcias relacionada