Letreiro
Ibope: Desde a posse, aprovação de Bolsonaro cai 15 pontos percentuais
mais brasil comunicações > Literatura
Voltar Enviar noticias imprimir
[27/12/2017] São Paulo; Jessé Souza explica como a classe média foi enganada no golpe das elites

Brasil247

Foto: Divulgação

Autor de "A elite do atraso", livro mais importante de 2017, o intelectual Jessé Souza explica como a classe média brasileira foi manipulada pela imprensa e levada a apoiar um golpe contra a democracia brasileira, que só interessa aos mais ricos; "a classe média foi massa de manobra dado que não havia, exceto para as capas superiores da classe média associadas ao pacto rentista, nenhum motivo racional para isso", diz ele; "A classe média não ganhou nada e só vai perder com o golpe"; a única justificativa – ainda que irracional – para o apoio da classe média ao golpe é o ódio aos pobres, que vem desde a escravidão

26 DE DEZEMBRO DE 2017 ÀS 11:02 // INSCREVA-SE NA TV 247 

247 – Por que segmentos da classe média brasileira apoiaram um golpe contra a democracia, que já retirou garantias trabalhistas, fez do Brasil uma república bananeira e ameaça as suas aposentadorias? A melhor resposta para esta intrigante questão está no livro "A elite do atraso – da escravidão à Lava Jato", escrito pelo sociólogo Jessé Souza, ex-presidente do Ipea.

Reproduzimos, abaixo, um trecho do livro:

Como esse golpe foi reacionário, ou seja, uma reação de cima à pequena ascensão social de setores populares, o decisivo é compreender a ação das classes do privilégio: a elite do dinheiro e a classe média e suas frações.

(...)

O golpe de 2016, como aliás todos os outros, foi gestado e posto em prática pela elite do dinheiro e cabe analisar e perceber seus motivos e compreender a ação de seu "partido político" específico: a grande imprensa.

(...)

A "política do golpe" foi midiaticamente produzida e os partidos só tiveram que ratificar os consensos sociais produzidos midiaticamente. Por conta disso, chamar o golpe de "parlamentar"é se prender às aparências e esquecer o principal.

(...)

Digo que a classe média foi massa de manobra dado que não havia, exceto para as capas superiores da classe média associadas ao pacto rentista, nenhum motivo racional para isso. A classe média não ganhou nada e só vai perder com o golpe. Mas ela agiu como se fosse a protagonista do processo.

Segundo Jessé, a única justificativa – ainda que irracional – para o apoio da classe média ao golpe é o ódio aos pobres, que vem desde a escravidão. Ou seja: a classe média se comporta como o capataz dos antigos senhores de engenho agia em relação aos escravos. Uma melhor posição na escala social é também o que mantém, para setores da classe média, uma confortável sensação de privilégios no modelo de extrema desigualdade que impera no Brasil.

 

https://www.youtube.com/watch?v=8Y9eCLUSeoI

 

 

Fotos da notcia

Clique sobre a foto para ampliar
Notcias relacionada