Letreiro
Malditos sem piedade.
mais brasil comunicações > Economia
Voltar Enviar noticias imprimir
[05/12/2017] Brasília; R$ 1 trilhão de isenções à Shell que poderia capitalizar a Previdência Social

Esmael Morais  -  esmaelmorais.com

Foto: Divulgação

As isenções de Michel Temer às petrolíferas estrangeiras, que podem ultrapassar R$ 1 trilhão, poderiam perfeitamente capitalizar a Previdência Social.

É gritante a incongruência no presente que o cleptogoverno concede às Shell da vida com a tentativa de fim de aposentadoria. O governo quer que o trabalhador contribua 40 anos a fim de obter o direito à aposentadoria integral, mas dá isenções fiscais de R$ 1 trilhão às petrolíferas que exploram as jazidas de óleo e gás no país.

“Governo Temer dá isenções fiscais de R$ 1 trilhão, R$ 1 TRILHÃO, para as petroleiras estrangeiras e quer que você contribua 40 anos para ter direito à aposentadoria integral?”, escreveu a deputada Érika Kokay (PT-DF).

Igualmente merece censura o lobby que ministros e empresas estrangeiros fizeram pela edição Medida Provisória 795, do governo Michel Temer. A esse respeito o senador Roberto Requião (PMDB-PR), presidente da Frente Ampla, fez uma representação na Procuradoria-Geral da República.

 

“Estou estarrecido, Câmara aprova MP 795 que líquida conteúdo nacional no petróleo e praticamente elimina impostos pagos por multinacionais. 184 deputados resistiram e 208 se acanalharam. Quinta coluna?”, tuitou o peemedebista.

“Gov o propõe a a câmara aprova a renúncia de 1 trilhão em impostos das petroleiras e governo quer acabar com a aposentadoria dos trabalhadores. Enquanto isto o valoroso MP investiga suposto apartamentinho de Lula e denuncia com acusação inacreditável Sen Gleisi.
SENHOR DEUS !!”, continuou o presidente da Frente Ampla.

A votação que o senador se refere ocorreu na ‘calada da noite’ desta quarta-feira (29) na Câmara Federal.

Entretanto, dentre as propostas de Requião ao futuro presidente da República está a realização de um referendo revogatório das “patifarias” de Temer como leilões do pré-sal, privatização do sistema energético e isenções lesa-pátria como essa que favorece a Shell.

 

Fotos da notcia

Clique sobre a foto para ampliar
Notcias relacionada